Tulum – A combinação perfeita entre ruínas e mar

Combinando ruínas maias com praias de areia branquinha e mar azul, Tulum é uma das grandes pedidas para visitar durante a sua estadia em Cancún. Vem com a gente pra descobrir mais sobre essa combinação perfeita!

O que fazer em Tulum

Normalmente quando falamos de Tulum, estamos nos referindo ao Sítio Arqueológico de Tulum, uma antiga cidade da civilização Maia. Acredita-se que a cidade estivesse em seu auge por volta do ano 564, sendo muito utilizada como porto de pesca. Hoje, Tulum é uma cidade mexicana que vai além da região das ruínas. Algumas das praias mais lindas e tranquilas estão por ali.

No dia que reservamos para visitar Tulum, tínhamos uma programação bem extensa e acabamos nos atrasando um pouco pra chegar. Como um dos nossos compromissos tinha horário marcado, queríamos fazer uma visita rápida pelas ruínas, algo que levássemos no nosso tempo – e não dependesse de guia, grupo, etc.

Quando a gente chega em Tulum, é logo abordado pelos intermediadores dos guias. O assédio chegou a me incomodar. Pra evitar cair no papo deles, vá sabendo exatamente o que você quer. De forma resumida, existem duas formas principais de se explorar as ruínas de Tulum: por conta própria ou com um guia. Além disso, é possível combinar essa escolha com um passeio de barco, que te permite ver as ruínas de frente e fazer um snorkel naquele mar lindão.

Acabamos pegando a visitação sem guia, combinando com o passeio de barco. Logo na entrada, o guardinha nos surpreendeu dizendo que o acesso de câmeras de vídeo era pago a parte(!) – estávamos com a Gopro na mão. Não teve choro, ou pagávamos a taxa ou a câmera ficaria no guarda volumes. Como tínhamos outra câmera, optamos por deixar no guarda volumes. O estranho é que bolsas e mochilas não são revistadas.

Tulum - A combinação perfeita entre ruínas e mar
Tulum – Cancún – México.

Enfim… Fizemos nosso passeio pelo sítio arqueológico, seguindo as indicações e lendo as plaquinhas. Estava quente, MUITO quente. Além do sol a pino (por volta das 10 da manhã), as pedras emitiam muito calor. Sugiro ir mais no comecinho da manhã ou fim da tarde.

O tempo todo somos agraciados com vistas daquele mar incrível, em tons de azul que a gente não acredita que existe até chegar lá. Quando chegamos próximo ao Castillo, a construção principal da cidade, é possível ver o acesso à praia. Muita gente aproveita pra se refrescar, mas com o tempo corrido e o passeio de barco agendado, pulamos a praia e chegamos ao fim da visita.

Tulum - A combinação perfeita entre ruínas e mar
Com o gato em Tulum – Ao fundo o “Castillo” – Cancun – México.

Usamos o mapa e as instruções que recebemos ao comprar o passeio e seguimos de carro até a praia de onde partem os barquinhos.

Gente, que praia incrível. Que água calma, que cor de azul! Lindo demais!

Tulum - A combinação perfeita entre ruínas e mar
Saca só a cor dessa água!

Os barcos partem e tempos em tempos, não há horário marcado. Esperamos um pouquinho para fechar o grupo e embarcamos. O passeio de barco em si não tem nada de diferente de um passeio de barco com snorkel. A paradinha que ele dá pra vermos as ruínas de frente é muito rápida, quase não deu tempo de tirar a foto!

Tulum - A combinação perfeita entre ruínas e mar
Ruínas de Tulum – Vista pelo mar – Cancun – México.

Depois, seguimos para o ponto de snorkel. O mar estava um pouco agitado e molha bastante dentro do barco. Por sorte, a bolsa da nossa máquina é resistente à água e conseguiu aguentar bem. Se a sua não for, leve uma sacolinha plástica. Os outros pertences ficam na barraquinha. Não tivemos nenhum problema.

Tulum - A combinação perfeita entre ruínas e mar
Snorkel nesse mar aí. Sim, é real!

Quanto custa visitar Tulum?

(Valores de Abril/2016)

  • Acesso ao Sítio: 65 pesos
  • Entrada de câmeras de vídeo: 30 pesos
  • Tour guiado: 500 pesos (pode variar)
  • Passeio de barco + acesso ao sítio: 440 pesos.

Como chegar em Tulum

Nós chegamos em Tulum de carro. Foram 65km a partir de Playa del Carmen (na direção oposta a Cancún), em uma rodovia em ótimas condições e toda duplicada. A partir de Cancún a viagem é bem mais longa: são 130km saindo da Zona Hoteleira.

Também é possível chegar de ônibus da empresa ADO. De Cancún, a viagem dura 2:18 minutos e custa 288 pesos (ida e volta). A partir de Playa, são 132 pesos e 1 hora de viagem. Certifique-se de pegar o ônibus para a Zona Arqueológica.

Porque escolhi visitar Tulum (e não outro sítio arqueológico)

Eu não sou uma pessoa ligada em história das civilizações antigas e, por isso, não faço a menor ideia se a cidade de Tulum era mais ou menos importante para os Maias que Cobá ou Chichén-Itzá.

A única razão que me fez escolher Tulum em detrimento das outras foi a localização. Tanto do ponto de vista da logística (dava pra encaixar bem no nosso roteiro), quanto da beleza pela proximidade ao mar. Afinal, desculpem os amantes de história, mas euzinha fui ao México pra ver praia. Cada um tem suas preferências, né?

O que encaixar no roteiro com Tulum

Tulum é provavelmente o ponto do litoral mais distante que você irá na sua viagem a Cancún. Por isso, é recomendável tentar encaixar alguma outra coisa nesse mesmo dia. Ali pertinho das ruínas, estão algumas praias maravilhosas e que você poderá aproveitar para desfrutar. A mais famosa é a Playa del Paraiso, que dá pra ir caminhando se você tiver boa disposição. Não chegamos a ir até lá, mas o Fabio (do Viagens Cinematográficas) foi e contou a experiência dele por lá.

Nós combinamos Tulum com o passe noturno no Xcaret. Ainda queríamos nadar com as tartarugas em Akumal antes, mas não deu tempo porque nos atrasamos para chegar em Tulum. Outra opção é combinar com uma visita ao Cenote dos Ojos, que fica pertinho do Parque Xel-Há.

Vale a pena ir até Tulum?

Eu não sou uma pessoa fascinada em história, então tirar a Zona Arqueológica de Tulum em si não teria me feito falta. Apesar de que acho que uma visita a Cancún não é completa se você não visitar pelo menos uma ruína. Acho que também teria ficado curiosa e com a sensação de “faltou conhecer uma ruína”. Apesar de não ser, pra mim, o melhor da região de Cancún, sem dúvidas valeu a pena pela paisagem bem singular.

Talvez nossa experiência tenha sido influenciada pelo do carinha que nos cobrou por causa da GoPro, pelo calor infernal, nossa pressa e pelo fato de termos entrado sem o guia. Apesar de ser relativamente fácil de andar lá dentro e ter plaquinhas informativas, talvez o guia pudesse ter nos dado uma visão melhor da cidade maia de Tulum.

Por outro lado, apesar de não ser nada muito diferente de qualquer outro passeio – exceto pelo fato de rapidamente ficarmos de frente para as ruínas – eu gostei muito do passeio de barco. A praia onde fomos para embarcar era incrivelmente linda. Mas como gosto é gosto, o maridão não curtiu o barco.

E você, o que achou de Tulum?

Tulum - A combinação perfeita entre ruínas e mar

Renata Marques

Nascida em Minas Gerais, filha de mãe mineira e pai paulista, passou parte da infância no Rio de Janeiro, morou em João Pessoa, fez intercâmbio em Londres e atualmente estuda uma possibilidade de se mudar de São Luís, onde já viveu por quase metade da vida. Mãe desde muito nova, filha desnaturada, esposa esforçada. Apaixonada por viagens e paisagens naturais. Servidora pública, fotógrafa e blogueira e em 2017 fez uma volta ao mundo de 1 ano com a família.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *