Chichén Itzá: Como ir a partir de Cancún ou Playa del Carmen

Chichén Itzá que significa “na boca do poço de Itza”, é atualmente o segundo sítio arqueológico mais visitado do México. A famosa cidade funcionou como centro político e econômico da civilização Maia. As várias estruturas – a pirâmide de Kukulkan, o Templo de Chac-Mool, a Praça das Mil Colunas e o Campo de Jogos dos Prisioneiros – podem ainda hoje ser admiradas.

A pirâmide foi o último e, sem qualquer dúvida, o mais grandioso de todos os templos da civilização Maia. Este sítio arqueológico foi um dos maiores centros  Maias da Península de Yucatán. Durante quase 1000 anos de história, diferentes povos deixaram suas marcas na cidade. A visão sobre o universo dos Maias, Toltecas e Iztecas é revelada nos monumentos de pedra e em seus trabalhos artísticos. A fusão entre as técnicas Maias de construção com elementos do centro do México fizeram de Chichén-Itzá um dos melhores exemplos da civilização Maia-Tolteca em Yucatán.

Muitos turistas visitam Chichén Itzá fazendo o bate e volta, uma viagem de um dia, especialmente a partir de Cancún, a mais de 160km de distância. Este sítio arqueológico é também uma hora e meia de distância de Mérida, a capital de Yucatán. As comunidades Maias próximas de Chichén Itzá desenvolveram muitos ambientes atraentes para os turistas apreciarem as heranças da cultura Maia.

Se você adora história e cultura, é interessante agendar uma ou duas noites para desfrutar de todas as atividades turísticas nas proximidades de Chichén Itzá. Assim você ganha tempo para conhecer mais do que apenas uma parte deste grande sítio. Se você decidir ficar uma noite em Chichén, visite o sítio arqueológico no início do dia antes que o sol esteja escaldante, e antes que maioria dos visitantes cheguem.

A história de Chichén Itzá

Chichén Itzá era um centro de peregrinação para os antigos Maias há mais de 1.000 anos. O Cenote Sagrado (um grande poço natural em uma gruta de pedra calcária) foi consagrado ao antigo deus da chuva “Chac”.

Por volta de 987 o governante do povo tolteca do México central descobriu o local, e com seus aliados Maias fez de Chichén Itzá a cidade mais poderosa da penísula de Yucatán. O governante chamou a si mesmo “Kukulcán”, o nome da divindade mesoamericana que significa serpente emplumada, e Chichén Itzá tornou-se um centro religioso também. Mais edifícios foram construídos, em uma mistura de estilos Maias e Toltecas.

Os povos Maias revoltaram-se contra os governantes de Chichén Itzá em 1221. A cidade não foi abandonada, mas com a queda do poder político, declinou. Chichén Itzá continuou a ser um local de peregrinação para os Maias até ser conquistada pelos conquistadores espanhóis no século 16.

As estruturas de Chichén Itzá foram cobertas de selva e lentamente deteriorado até o início de grandes projetos arqueológicos, na década de 1920. Desde então, as estruturas antigas foram restauradas e cada vez mais turistas visitam o deslumbrante sítio.

Monumentos arqueológicos em Chichen Itzá

Chichén Itzá guarda os vestígios de uma civilização fascinante de tempos passados. Guias bem informados que falam os principais idiomas do mundo podem ser contratados, ou você pode explorar o sítio por conta própria com a ajuda de um mapa.

A pirâmide de Kukulcan ou El Castillo

O mais famoso marco de Chichén Itzá. A pirâmide era um templo dedicado à serpente emplumada, o Deus Kukulcán. O templo também foi apelidado pelos espanhóis de El Castillo, o castelo em tradução livre. Duas vezes por ano, no equinócio da primavera ou outono (20/21 de março e 21/22 de setembro), acontece um fenômeno natural das luzes e sombras que projetam a imagem de uma serpente subindo ou descendo as escadarias da grande pirâmide, que tem 26 metros de altura.

Até 2006 era permitido que os turistas subissem os degraus da pirâmide. Hoje em dia ela é cercada e a subida é proibida.

Cenote Sagrado

Cenote Sagrado em Chichén Itza

O cenote sagrado é um grande espelho de água onde os Maias ofertavam jóias e objetos de ouro, e onde as pessoas eram atiradas em sacrifício ao deus da chuva.

Juego de Pelota

Com 168 metros de comprimento por 70 de largura, o campo é considerado o maior das Américas. Nele era disputado um jogo que valia, literalmente, a vida do ganhador.

Além destes, outras construções importantes são o Templo dos Guerreiros e as Mil Colunas. Mais ao sul, perto do cenote Xtoloc, está o Caracol, também conhecido como Observatório, e o conjunto Las Monjas, com o pequeno, La Iglesia.

Chichén Itzá – Informações Gerais

🕐 Horário de Funcionamento

Aberto diariamente das 08:00 as 17:00

💰 Valor da admissão

A entrada de adultos custa 64MXN (Abril/2016) e o preço pode subir se você resolver contratar um guia, o que a gente recomenda! Um lugar com tanta história e cultura merece um passeio guiado.

Importante: O acesso as Zonas Arqueológicas é gratuito todos os dias para crianças menores de 13 anos, estudantes, e pessoas de terceira idade com identificações válidas. Aos domingos a entrada é gratuita para mexicanos e residentes. Cobra-se uma taxa de 45MXN sob o uso de câmeras filmadoras, mas câmeras digitais com a funcionalidade de vídeo são permitidas. Tripés são proibidos.

📍 Como chegar

#1 Ônibus da ADO – saindo de Cancún 292MXN (Abril/2016) por trecho.

#2 Aluguel de carros

#3 Guias de turismo saindo de Cancún ou Playa.

💻 Site oficial

Para informações do site oficial do governo mexicano, clique aqui.

✔ Nossas dicas

#1 Passe bastante filtro solar, leve um chapéu ou guarda-sol. A incidência de sol e o calor em Chichén Itzá são inacreditáveis, o sítio arqueológico é um campo aberto com pouquíssimas árvores e sombra. Lembre-se de que se você for ao Cenote após o passeio vai precisar passar filtro solar biodegradável.

#2 Além dos supermercados locais, Chichén Itzá foi o local onde encontramos lembrancinhas mais baratas! Aproveite.

Você já visitou Chichén Itzá? Tem mais alguma dica para compartilhar com a gente?

Carmina Nascimento

Engenheira eletricista e apaixonada por livros. Nascida e criada em Manaus, morei um ano em Londres participando do programa de intercâmbio Ciência sem Fronteiras. Em 2016 realizei um dos meus maiores objetivos relacionados a viagem, o destination wedding.

2 comentários em “Chichén Itzá: Como ir a partir de Cancún ou Playa del Carmen

  • junho 29, 2016 em 9:44 am
    Permalink

    Um dos lugares mais bacanas que já visitei 🙂

    Resposta
    • junho 29, 2016 em 10:34 am
      Permalink

      VIsitar Chichén Itzá e conhecer mais da cultura Maia é uma experiência realmente maravilhosa.

      De qual monumento você gostou mais?

      Abraço!

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *