10 Curiosidades sobre Manaus para conhecer melhor a cidade

Hoje, 24 de outubro de 2016, Manaus comemora 347 anos. Manaus é uma cidade quente, abafada e perigosa, mas muito acolhedora e cheia de oportunidades. Muita gente vem de outros estados e/ou países e acabam se firmando por aqui. Ainda assim é uma cidade pouco conhecida dentro do Brasil, muita gente não faz ideia de como são as coisas por essas bandas. Pra comemorar essa data especial e divulgar um pouquinho a cidade, elaboramos uma listinha com algumas curiosidades sobre essa terra quente.

#1 – A primeira universidade do Brasil foi fundada em Manaus

Entrada da UFAM
Entrada da UFAM

A primeira universidade do Brasil chamava-se Escola Universitária Livre de Manáos. A Escola Universitária começou com dez cursos agrupados em cinco faculdades: ciências jurídicas e sociais, medicina, ciências e letras, engenharia e militar. Ao longo dos anos, com o declínio da indústria da borracha e o consequente esvaziamento da economia da região, a Universidade, que era apoiada pelo governo estadual, por industriais e fazendeiros, deixou de receber recursos importantes. Foi desmembrada e fechada, na década de 20, para reabrir somente em 1962.

Mas, mesmo com a extinção da Escola Universitária, a Faculdade de Direito nunca deixou de funcionar e foi reincorporada à instituição, tornando-se o embrião da atual Universidade Federal do Amazonas (UFAM). A UFAM conta hoje com 96 cursos de graduação, 31 de mestrado e oito de doutorado. São 25 mil alunos e 1,5 mil professores. Há cinco campi espalhados em cidades do interior do estado, com seis cursos de graduação cada um. O campus de Manaus está situado numa área de 6,7 milhões de metros quadrados (enorme, né?).

#2 – Manaus tem uma grande influencia dos ingleses

Mercado Adolpho Lisboa
Mercado Adolpho Lisboa

Manaus e Inglaterra tem suas histórias interligadas pelo ciclo da borracha, que trouxe grande prosperidade e desenvolvimento para a cidade. Dentre as heranças deixadas em Manaus pelos ingleses, as que mais de destacam são: o Mercado Municipal, o Prédio da Alfândega, o Porto da cidade, também chamado de “Rodway”, o Bondinho – hoje desativado – e a implementação da luz elétrica. Oficialmente, Manaus foi a terceira cidade do Brasil a inaugurar serviços de bondes elétricos.

O primeiro campeonato Amazonese de futebol foi realizado pelos ingleses em 1914. O time ganhador foi o Manaós Athletic Club formado apenas por ingleses. O jogo da Inglaterra em Manaus aconteceu exatamente 1 século depois da final deste campeonato.

 #3- Manaus tem o maior porto flutuante do mundo

Porto Flutuante de Manaus
Porto Flutuante de Manaus

Uma das heranças dos ingleses. O porto de Manaus pode operar tranqüilamente com 04 navios simultaneamente em qualquer período do ano e mais 3 navios durante a cheia do Rio Negro. A necessidade de um porto flutuante acontece porque durante o ano, o Rio Negro passa pelo período da cheia e pelo período da vazante. Com o degelo nos Andes e a estação das chuvas na região Amazônica, o nível do rio sobe vários metros, alcançando sua máxima entre os meses de junho e julho. O pico coincide com o “verão amazônico”. O nível do rio abaixa até meados de novembro, quando novamente inicia o ciclo da cheia.

Em Manaus, a máxima do Rio Negro vem sendo registrado há mais de cem anos, e existe um quadro no Porto com todos os registros históricos, inclusive o da maior cheia de todos os tempos, ocorrida em 2012, alcançando, até 21 de maio (antes do início da vazante), a cota de 29,87 metros acima do nível do mar.

#4- Manaus tem uma calçada com ondas como a de Copacabana, mas mais antiga

Largo São Sebastião
Largo São Sebastião. Foto: Eliomar Santos.

O nome da praça é Largo São Sebastião, o piso de pedras portuguesas formado de ondas pretas e brancas, construído na época áurea da borracha e finalizada em 1901. Nas redondezas do largo encontram-se importantes monumentos históricos. O Monumento de Abertura dos Portos fica bem no meio da praça e representa a decisão que contribuiu com o comércio da borracha. Ao lado direito, encontra-se a Igreja de São Sebastião, uma das mais lindas da cidade (vale a pena visitar por dentro). E dominando a paisagem, o Teatro Amazonas o principal cartão postal de Manaus até hoje.

No largo, você pode experimentar um dos melhores tacacás da cidade, tomar uma cerveja no famoso Bar do Armando, ou um sorvete na Glacial para aliviar um pouco o calor e curtir apresentações artísticas ao ar livre. Esta região é uma das mais importantes no cenário cultural da cidade.

#5 – Manaus abriga quase toda a população amazonense

O estado do Amazonas é o maior do Brasil e também é maior que as áreas da França, Espanha, Suécia e Grécia somadas. Apesar de ser enorme, o Amazonas é pouquíssimo desenvolvido, o estado possui um dos mais baixos índices de densidade demográfica no país. Manaus tem cerca de 2 milhões de habitantes enquanto a segunda cidade com mais habitantes do Amazonas, Parintins, tem 11 mil habitantes.

#6- No verão chove todos os dias

Lá vem o toró manas
Lá vem o toró manas

Diferente da música de Elis, as águas de março não fecham o verão por aqui. Abril chuvas mil, já dizia o caboclo. Manaus recebe mais de 2.200mm de chuva por ano. A precipitação é mais elevada entre dezembro e maio, enquanto diminui significativamente entre Junho e Novembro. O mês de setembro é o mais quente do ano socorro. É muito comum ouvir as pessoas dizendo por ai que em Manaus fazem seis meses de chuva e seis meses de sol. A verdade é que faz calor o ano inteiro.

#7 – Apesar de estar no coração da floresta amazônica, Manaus é a terceira capital menos arborizada do Brasil

Um pedacinho de Manaus visto de cima. Verde: Parque Senador Jefferson Peres.
Um pedacinho de Manaus visto de cima. A área verde é do parque senador Jefferson Peres.

Segundo o censo IBGE 2010, a cidade tem 25,1% de cobertura vegetal nas áreas urbanas. Quando se fala em Manaus, as pessoas imaginam uma cidade cheia de árvores, mas o que ocorre é exatamente o contrário. O estudo do IBGE surpreendeu ao divulgar os dados que demonstram que a cada quatro casas, apenas uma possui árvore no entorno. Eu sonho com uma Manaus mais arborizada.

#8- Dá pra ir pro Caribe de carro a partir de Manaus

Nossa primeira viagem: Margaria, Venezuela.
Nossa primeira viagem: Margarita, Venezuela.

Pra saber se alguém é de Manaus mesmo, basta perguntar se a pessoa já passou as férias em Margarita (ou em Fortaleza). Há alguns anos era uma prática bem comum ir pra Venezuela de carro, nossa moeda era relativamente mais forte que o Bolívar e a viagem dura cerca de dois dias (o trecho). Minha primeira viagem com o Fábio foi pra Margarita e o lugar é lindo (não é a toa que tanta gente ia!). Hoje, com a crise econômica e política na Venezuela, a ilha de Margarita tem sido deixada de lado pelos Manauaras.

#9- Um passeio comum aos domingos é ir a um café da manhã regional

cafe-da-manha-manaus
Café da manhã regional em Manaus. Fonte: Veja

Manaus é repleta de cafés da manhã. E eles funcionam a tardinha também. Dia de domingo eles ficam completamente lotados e se você não chegar cedo, pode encarar até 1h de espera em filas. Eu AMO o café regional daqui <3 E na minha opinião, é um dos melhores retratos da culinária regional. As coisas mais comuns de encontrar nos cafés por aqui são: x-caboquinho (pão com tucumã, queijo coalho e banana frita), bolo de macaxeira, tapiocas gigantes (sim, são para pelo menos 3 pessoas), paçoca, cuscuz, mingaus, banana frita, banana cozida, macaxeira cozida, cará, batata doce, pamonha, suco de cupuaçu, de graviola, taperebá… ufa! É muita coisa. E pra ser sincera, o único motivo de eu acordar bem cedo feliz é saber que vai ter café regional.

#10- Pacu, curimatã, tucunaré, pirarucu, baiacu. Manauaras adoram um.. peixe!

Tambaqui assado: o queridinho da galera
Tambaqui assado: o queridinho da galera

O Amazonense em geral ama peixe, e só os peixes daqui tá? Por serem de água doce, nossos peixes tem um sabor muito diferente e maravilhoso. Normalmente amazonense não curte peixe de água salgada. Os peixes mais queridos são o tambaqui e o pirarucu, também os mais caros. Eu adoro todos, mas especialmente a matrinxã (tão renegada) e o Jaraqui (conhecido por ser peixe de pobre). Tem inclusive um ditado popular bem legal envolvendo esse peixe que diz “Quem come Jaraqui não sai mais daqui“. Uma mostra de como a culinária local é deliciosa.

#Bônus: o vocabulário Amazonês

Como em qualquer outra região, em Manaus também temos um jeitinho todo especial de falar, mais conhecido como Amazonês.

  • Manauara não fica com fome, fica brocado
  • Manauara não se cobre com lençol, se embrulha
  • Manauara não acha algo grande, acha maceta
  • Manauara não sente frio, bate os beiço
  • Manauara não acha algo legal, acha chibata
  • Manauara não encosta nas coisas dos outros, a gente nem trisca
  • Manauara não torce o pé, disminte
  • Manauara não pendura a roupa no cabide, pendura na cruzeta
  • Manauara não brinca de pique-esconde, brinca de manja
  • Manauara não se prepara pra chuva, se prepara pro toró
  • Manauara não fala muito, fala que só

Que tal uma música pra embalar este post?

Você com certeza já ouviu músicas de artistas manauaras, como a banda Carrapicho (bate forte o tambor, eu quero é tic tic.. não?), mas essa música, Porto de Lenha, eu acho uma das mais lindas dentre as regionais.

Tem mais dúvidas sobre Manaus? Pergunta pra gente. Em breve você vai encontrar muito mais informações sobre a cidade aqui no blog.

Salve no Pinterest
Salve no Pinterest

Feliz Aniversário Manaus!

Carmina Nascimento

Engenheira eletricista e apaixonada por livros. Nascida e criada em Manaus, morei um ano em Londres participando do programa de intercâmbio Ciência sem Fronteiras. Em 2016 realizei um dos meus maiores objetivos relacionados a viagem, o destination wedding.

5 comentários em “10 Curiosidades sobre Manaus para conhecer melhor a cidade

  • novembro 22, 2016 em 10:36 am
    Permalink

    Post muito bem desenvolvido, bastante verdadeiro e elucidador. Nunca houvera visto Manaus tão bem descrita. Parabéns!

    Resposta
    • novembro 22, 2016 em 11:49 am
      Permalink

      Muito obrigada Marcos, foi escrito com muito carinho por uma caboquinha.

      Um abraço.

      Resposta
  • janeiro 10, 2018 em 8:56 pm
    Permalink

    Amei muito!! Kkk legal ver nossa cultura relatada assim, me diverti

    Resposta
    • setembro 9, 2018 em 11:00 pm
      Permalink

      Que legal Barbara! Tentei dar um ponto de vista bem local mesmo, rs.

      Resposta
  • fevereiro 20, 2019 em 8:32 am
    Permalink

    Carmina querida, parabéns pelo post!!! Amei do início ao fim. Forte abraço

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *