fbpx

O que fazer em Budapeste: Roteiro de 2 dias na capital da Hungria

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

A cidade me encantou com seu Rio Danúbio, arquitetura impressionante, relevo que contrasta o plano e o acidentado e vistas de tirar o fôlego. Conheça nosso roteiro de 2 dias em Budapeste.

Voo:

  • Ida – Sexta às 8:35 de London Stansted, chegando em Budapeste às 12:05 – Ryanair.
  • Volta – Domingo às 6:15 de Budapest, chegando em London Stansted às 7:50 – Ryanair.

Valor total: £60.00 (mas precisei comprar a ida em cima da hora, então paguei bem caro – minhas amigas pagaram £30 comprando com antecedência).

Moeda:

  • Forint húngaro (euro aceito em alguns lugares)
  • £1 = +/- 330 forints (jan/2013)
  • Atenção: cartão de crédito não é tão aceito como nos outros países.

Transporte:

  • Baker Street (Londres) – Aeroporto de Stansted:
    • Duração: 1h10min
    • Preço: £5.99, pela EasyBus, mas há várias empresas que fazem o trajeto.
  • Aeroporto de Budapeste – Centro da cidade – Ônibus 200E, que sai do aeroporto.
    • Duração: 20 min
    • Preço do ticket urbano normal: 350 forints ou bloco de 10 tickets por 3000 forints.
  • Na cidade:
    • Há ônibus, bonde, metrô e barco, mas a cidade é pequena e nós andamos o tempo quase todo a pé.

Hospedagem

  • Suite Hostel – £6.67 por uma cama, uma noite.
  • Localização: Excelente, no lado “Peste” da cidade, próximo a uma das principais pontes.
  • Conforto: Bem simples, mas satisfatório. Parece um prédio residencial que é bem antigo, há banheiro no quarto, uma cozinha comunitária e nenhum problema aparente de higiene. Há elevador minúsculo (ainda que eu tenha preferido as escadas, em 99% das vezes).

Idioma

  • Húngaro: Não se parece com nada que você já tenha visto na vida, nem de longe. Aprendi uma palavra: köszönöm (obrigado).
  • Inglês é falado nas atrações, hostel, estações de metrô e restaurantes. Não tivemos problema. Português somente com os brasileiros que se vê aos montes e em toda parte.

Como é o clima em Budapeste (em janeiro!)

Frio, muito frio em janeiro. Neve ainda nas ruas (apesar de não ter nevado no período em que estive lá), temperatura sempre um pouco abaixo de zero e sensação térmica chegando a -13ºC. Venha preparado!

O que fazer em Budapeste

Dia 1

  • Almoçar no Lanchid Sorozo (lado Peste) que teve uma comidinha gostosa e bem barata , cardápio em inglês e ainda nos deu um cartão postal com uma foto do local de lembrança.
  • Ir em Castle Hill, onde fica a Mattias Church, vários prédios históricos e vistas maravilhosas da cidade. Parada obrigatória.
Vista deslumbrante do Castle Hill
Vista deslumbrante do Castle Hill
O parlamento visto do Castle Hill
O parlamento visto do Castle Hill
Por do sol em Castle Hill
Por do sol em Castle Hill

Visitar o Labirintus, uma série de cavernas subterrâneas, com monumentos à história da cidade. A iluminação completa o tom de suspense do lugar. Não lembro o preço, mas aceita carteira de estudante. Não esqueça a sua.

Corredores do Labirintus
Corredores do Labirintus
  • Passar em Castle Hill à noite, apreciando a vista (e o frio) do rio Danúbio e a iluminação magnífica do parlamento.
A impressionante arquitetura no topo do Castle Hill
A impressionante arquitetura no topo do Castle Hill
Curtindo o frio e a linda vista para o parlamento
Curtindo o frio e a linda vista para o parlamento

Dia 2

  • Conhecer a praça dos heróis, o City Ice Rink perto do lago, passar pelo Vajdahunyad Castle e tirar foto com a escultura macabra do senhor Anonymvs.
Anonymvs
Anonymvs
  • Passar o dia de molho nas piscinas do Széchenyi thermal bath, um complexo de piscinas de águas quentes de temperaturas variadas. A água é quente naturalmente (70ºC) e eles resfriam pra ficar em temperaturas entre 20 e 40ºC. Passeio imperdível, foi uma das coisas que mais gostei de fazer em Budapeste!
  • Custou 4800 forints, com uma cabine pra trocar de roupa e deixar seus pertences. Era possível pegar uma só com armário e trocar de roupa no banheiro. É possível alugar toalhas e roupas de banho no local.
Piscina na área externa do Széchenyi thermal bath
Piscina na área externa do Széchenyi thermal bath
Indicações de temperatura e profundidade em uma das piscinas internas
Indicações de temperatura e profundidade em uma das piscinas internas
Piscina interna e detalhes da arquitetura interna do Széchenyi thermal bath
Piscina interna e detalhes da arquitetura interna do Széchenyi thermal bath
  • Passear na praça e alimentar os pássaros e patos, com a ração a venda numa maquininha simpática.
Máquina de venda de comida para patos
Máquina de venda de comida para patos
  • Caminhar à beira do rio Danúbio, tirando milhoes de fotos na frente do parlamento (na margem oposta).
O Parlamento às margens do exuberante rio Danubio.

Almoçar no EatAliano, restaurante fino, de super bom gosto, com direito a prato principal, bebida e sobremesa por 3500 forints.

Decoração do restaurante
Decoração do restaurante
Pasta deliciosa
Massa deliciosa
  • Caminhar mais ainda na beira do rio, com mais fotos do parlamento, com sua iluminação noturna e uma lua cheia completando a cena.
Parlamento Húngaro em noite de lua cheia :)
Parlamento Húngaro em noite de lua cheia 🙂

O que não deu tempo de fazer em Budapeste:

  • Os free walking tours, que contam histórias tristes e incríveis sobre a cidade.
  • Visitar as sinagogas e lugares judaicos da cidade.
  • Passeio de barco no rio, que dizem ser lindo a noite.
  • Ir na Opera House, nem pra ver por fora, por falta de planejamento.

E você, o que visitou ou vai visitar em Budapeste que faltou aí na lista?

One thought on “O que fazer em Budapeste: Roteiro de 2 dias na capital da Hungria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *