Viagem de motorhome – Nossa experiência na Nova Zelândia

Depois de alguns dias na Nova Zelândia, eu, meu marido e filha ficamos fascinados com a ideia de fazer uma viagem de motorhome! É impossível não notar (e sentir aquela invejinha) das famílias cruzando o país com uma “casa sobre rodas”. E foi aí que pintou um aluguel super barato (raro!) e conseguimos realizar mais um sonho. Neste artigo contamos pra você como foi a nossa experiência.

O sonho da viagem de motorhome

Acredito que viajar de motorhome já tenha passado pela cabeça de muitas pessoas. Na minha, isso martela desde a minha infância, quando assistia sessão da tarde e brincava com o motorhome da barbie, que ganhei da minha madrinha.

Nunca havia pensado seriamente nessa hipótese pela falta de oportunidade – nenhum dos países que já tinha visitado era muito motorhome friendly. Até que cheguei na Nova Zelândia.

Parece que esse é o paraíso dos motorhomes e a sensação é de que todo mundo tem um na garagem. Nas estradas, nos estacionamentos, eles me provocavam por todo lado. E a vontade só foi aumentando.

Viagem de motorhome - Nossa experiência na Nova Zelândia
Quem nunca sonhou?

Como viajar de motorhome sem acabar com a grana

Só que fizemos uma busca rápida e descobrimos que o aluguel de um motorhome não caberia no nosso orçamento nesse momento. Estamos viajando por um ano e, sem salário fixo, escolhas econômicas são prioridade por aqui.

Foi quando descobrimos o sistema de relocação de veículos.

Após algumas tentativas frustradas, conseguimos alugar um motorhome sem gastar muito. Basicamente, você paga bem barato para fazer um trajeto que a locadora de veículos precisa. No nosso caso, precisaríamos levar o motorhome da Apollo de Auckland para Christchurch, em cinco dias.

Como chegamos na NZ sem planos fixos e já havíamos passado vários dias em Auckland, era hora de conhecer o interior do país.

A retirada do carro

No dia agendado, fomos até a locadora, para pegar o veículo. Optamos por pagar alguns itens adicionais, para ter mais conforto e tranquilidade. Muito também em função da nossa inexperiência – estávamos um pouco assustados com um carro desse porte e optamos por alguns seguros e taxa de limpeza.

Depois, visitamos uma caixinha de doações que a locadora disponibiliza, com itens que as pessoas deixam nos motorhomes após a viagem. Conseguimos detergente, café, chá, pimenta e até uma cafeteira nova pra mim! Vocês não imaginam a minha felicidade com essa cafeteira. Depois de receber o carro e muitas orientações sobre o funcionamento, partimos.

Os primeiros minutos dentro do motorhome foram de pura tensão.

Veículo enorme e a mão invertida fizeram com que meu marido (que normalmente é excelente motorista) tivesse dificuldade de se manter dentro da faixa. Cheguei a fechar os olhos e me segurar com força algumas vezes, mas depois de um tempo ele foi se acostumando (eu, nem tanto).

Nossa primeira parada foi no supermercado, para fazermos compras pra nossa casinha: ovos, pão, leite, macarrão, lanchinhos. Depois de geladeira abastecida e malas no carro, caímos na estrada.

Viagem de motorhome - Nossa experiência na Nova Zelândia
Não tem wifi? Vamos de cartas dentro do motorhome!

Nosso roteiro de motorhome pela Nova Zelândia

Como precisávamos levar o motorhome de Auckland a Christchurch, nosso roteiro não tinha muitas possibilidades de variação. O que fizemos basicamente foi escolher alguns lugares por onde gostaríamos de passar e que ficavam mais ou menos no nosso caminho. Também pesquisamos por recomendações de estradas para seguir.

Sem muito pensar, escolhemos parar nas cidades de Tauranga, Napier e Wellington na ilha norte, mas não tínhamos nada programado para a ilha sul. Isso porque as cidades que gostaríamos de visitar ficavam muito fora da rota que precisávamos fazer. Acabamos parando numa cidadezinha desconhecida (Murchison), quando o cansaço bateu.

No total, foram 5 dias (4 noites) e percorremos 1350km, uma média de 270 km por dia. Pode parecer pouco, mas com um carro pesadão, alguns dias foram bem puxados.

Como é o motorhome por dentro

Nosso primeiro campsite havia sido planejado para poucos quilômetros depois e foi um dos momentos mais divertidos. Tudo era aprendizado. Acender as luzes, ligar o fogão, ativar a descarga. Tudo é controlado por um painel central e precisa ser ativado quando a chegamos no acampamento e desativado na hora de ir pra estrada de novo.

O espaço dentro do motorhome é bem pequeno, mas consegue acomodar tudo o que você precisa: geladeira, fogão, banheiro com chuveiro, camas, mesa, tv, microondas. É realmente uma casa sobre rodas.

Viagem de motorhome - Nossa experiência na Nova Zelândia
Como é um motorhome por dentro?

O tamanho e as funcionalidades existentes vão depender do modelo escolhido e do fabricante. Uns são mais largos, outros beeeeem compactos. Claro, além disso o motorhome é um veículo e tem os locais designados para as pessoas sentarem durante a viagem – com cinto de segurança. Além disso, dá pra viajar com crianças no motorhome sim! As cadeirinhas de carro podem ser adaptadas normalmente.

 

 

Viagem de motorhome - Nossa experiência na Nova Zelândia

Como é dirigir e viajar no motorhome

Dirigir na Nova Zelândia é como passear em cenários de filme. Um lago, rio ou montanha (ou combinação deles) a cada curva. E haja curva! Muitas serras para cruzar. Se você precisa, tome um dramin antes.

Viagem de motorhome - Nossa experiência na Nova Zelândia
Haja curva!

Na nossa viagem, seguimos uma rotina mais ou menos assim: acordar e tomar café no motorhome, lavar a louça do café, guardar tudo nos armários, cair na estrada e dirigir por uns 300km, parando para lanches rápidos quando necessário e em mirantes nas estradas, chegada no acampamento por volta das 19h, fazer o jantar, lavar a louça, tomar banho e dormir.

No dia seguinte, o check out não envolve malas, o que é ótimo. Também dá pra começar a viagem de pijama e terminar de se arrumar depois, se der o horário do check-out. 😀

Vale a pena viajar de motorhome?

Do ponto de vista financeiro, o aluguel de motorhome não é tão mais barato que alugar um carro e se hospedar em hotel. Os custos são praticamente equivalentes, a menos que você consiga uma relocação de motorhome (como nós) ou viaje em um grande grupo (6 a 8 pessoas).

Viagem de motorhome - Nossa experiência na Nova Zelândia
Acordar e ver essa vista: Vale a pena viajar de motorhome?

Maaaaaaasss… fazer uma viagem de motorhome é uma experiência para a vida. Claro que não agrada todo mundo, principalmente se você quer somente descansar nas suas férias. Afinal, a experiência de um motorhome normalmente inclui cozinhar e manter a casa minimamente arrumada.  Mas acordar de manhã, abrir a janela e dar de cara com um lago incrível, ouvir o barulho dos pássaros enquanto prepara o café da manhã e a sensação de liberdade, compensam facilmente esse esforço.

Infelizmente, não dá pra descrever. Só vivendo para sentir.

Tem dúvidas sobre o aluguel de motorhome ou sobre uma viagem desse tipo? Manda a pergunta aí nos comentários!

Viagem de motorhome - Nossa experiência na Nova Zelândia

Renata Marques

Nascida em Minas Gerais, filha de mãe mineira e pai paulista, passou parte da infância no Rio de Janeiro, morou em João Pessoa, fez intercâmbio em Londres e atualmente estuda uma possibilidade de se mudar de São Luís, onde já viveu por quase metade da vida. Mãe desde muito nova, filha desnaturada, esposa esforçada. Apaixonada por viagens e paisagens naturais. Servidora pública, fotógrafa e blogueira e em 2017 fez uma volta ao mundo de 1 ano com a família.

11 comentários em “Viagem de motorhome – Nossa experiência na Nova Zelândia

  • agosto 12, 2017 em 12:00 pm
    Permalink

    Olá!

    Por favor, quanto ao ferry para cruzar à ilha sul, já estava incluso ou tiveram que pagar integral a parte?

    Obrigado 🙂

    Resposta
    • agosto 12, 2017 em 9:12 pm
      Permalink

      Olá, Tony.

      Vai depender de cada locadora. No nosso caso, no contrato estava incluso o ferry para o veículo e para o motorista. Pagamos a parte dois tickets (pra mim e pra nossa filha).

      Ah! Estava incluso porque era relocação. Se for contrato normal, tem que pagar ferry para o veiculo e para o motorista também.

      Escrevemos um livro sobre o assunto se vc quiser aprofundar mais! =)

      Resposta
  • setembro 13, 2017 em 9:15 am
    Permalink

    Vou cruzar a Nova Zelândia inteirinha em Outubro com motorhome.
    Não encontrei nenhum lugar que falasse sobre os gastos com combustível.
    Teriam mais informações para compartilhar?

    Resposta
    • setembro 15, 2017 em 2:25 am
      Permalink

      Oi Bárbara,

      Para rodar 720Km, gastamos R$502,26 em Fevereiro/2017. 🙂

      Resposta
      • setembro 22, 2017 em 12:25 pm
        Permalink

        Muito obrigada, já ajudou muito! 🙂

        Resposta
  • outubro 8, 2018 em 3:37 pm
    Permalink

    Olá pessoal,
    Gostaria de participar de um grupo de motorhomeiros, pretendo entrar para esta turma, viajando primeiro pelo Brasil

    Resposta
  • abril 15, 2019 em 1:41 pm
    Permalink

    Olá Renata, como vocês definiram os locais que iriam pernoitar? Há necessidade de reservar ou é possível ir parando conforme o trajeto? Obrigada!

    Resposta
    • abril 15, 2019 em 5:29 pm
      Permalink

      Oi Graziela!
      Nós baixamos o aplicativo Campermate, planejamos mais ou menos a rota, mas nao definimos o camping nao. No entanto, se for na alta temporada, tente encontrar o lugar até umas 16h, pq depois vai ficando mais difícil encontrar vaga. Quando precisava fazer algum desvio, eu tentava ligar antes, pra ver se tinha disponibilidade, pra não dar viagem perdida!

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *