Choque cultural: você está preparado?

Franceses são esnobes. Italianos são mal educados. Portugueses são grossos. Certamente você já ouviu algumas dessas generalizações por aí. Choque cultural: esse é o termo mais adequado para essas situações.

Se na sua última viagem você tirou essas mesmas conclusões, talvez você não tivesse preparado para conhecer uma cultura diferente.

Neste artigo, saiba o que é o choque cultural e como evitá-lo, para que suas próximas viagens serão bem menos estressantes.

+ Leia também: Como ganhar dinheiro com suas fotos de viagem

Parece grosseria, mas é só cultura

Eu me lembro bem quando uma portuguesa me perguntou se eu não sabia ler.

Assim mesmo, com todas as letras – e sem o menor tom de brincadeira. Afinal, eu estava negando uma bebida que estava incluída no combo que pedi. Pra ela, não poderia haver outra explicação.

Você talvez não notasse uma cerveja atrás dessa francesinha, mas foi por causa dela que fui chamada de analfabeta em Portugal.

Eu poderia ter fechado a cara e deixado essa experiência confirmar o que já haviam me dito: “Portugueses são grossos, não sabem tratar bem o turista”.

Eu também poderia ter saído falando mal dos britânicos quando o garçom me respondeu que eu não poderia pedir apenas uma bebida num restaurante (sem escolher um prato) ou do francês que simplesmente disse “não” quando eu perguntei se poderia sentar numa mesa próxima à janela.

Fala sério, né?

Algum tempo atrás eu realmente pensava assim: por que tratar o turista com tamanha “falta de sensibilidade”? O que custa juntar uma mesa ou abrir a porta do ônibus fora da parada? Dar um jeitinho (que nem infringe a lei, olha só), pra facilitar as coisas pra nós?

A resposta é simples e, ao mesmo tempo, complexa: cultura.

Não adianta: não dá pra ir para fora do país e esperar que sejamos tratados da mesma forma que somos tratados no Brasil.

+ Leia também: O guia indispensável para encontrar passagens aéreas baratas

O que é o Choque Cultural?

O choque cultural é um sentimento de ansiedade e desconforto emocional que um viajante pode sofrer sempre que é colocado em um local com cultura e costumes muito diferentes da sua origem.

É muito comum acontecer, por exemplo, quando um brasileiro se muda ou decide passar férias em países da Ásia, como China, Japão ou Tailândia. Mas nem precisa ir muito longe: já viu aquela pessoa que morou a vida inteirinha na roça indo pela primeira vez em uma grande capital?

Além disso, saiba que o choque cultural não acontece somente com viajantes inexperientes.

choque cultural - é causado pelo excesso de novidades
O Choque Cultural – é causado pelo excesso de novidades

Por que o choque cultural ocorre?

No fim das contas, o que causa o choque cultural é a mudança. Especialmente muitas mudanças em pouco tempo – o que é comum quando somos transportados de uma cultura para outra.

É como se, de repente, tudo aquilo que você aprendeu com relação a idioma, boas maneiras e tudo mais, não servisse pra nada. Parece que você está agindo errado o tempo todo (ou que todos estão contra você).

O choque pode ser ainda mais forte quando a cultura é muito diferente (como a oriental com relação à nossa), especialmente quando a gente não se prepara de antemão para essas diferenças.

+ Leia também: Por que planejar uma viagem? Experiências que deram errado

Relato pessoal da nossa chegada à Tailândia

Meu marido passou por um choque cultural intenso, logo quando chegamos na Tailândia – mesmo depois de termos acabado de sair de outros dois países asiáticos (Indonésia e Malásia). Na época, ele chegou a escrever um grande desabafo num outro site, vou transcrever uma parte pra cá.

“Quando cheguei em Bangkok já tivemos o choque inicial, pois grande parte das informações estava apenas no alfabeto local – algo completamente diferente do nosso. Fomos para a praça de alimentação, fizemos o pedido e descobrimos que eles não aceitavam cartão. Tentei sacar dinheiro de dois cartões diferentes e três bancos diferentes e não tive êxito(…) Eu já estava exausto (ExaustãoMental#01) e faminto (ExaustãoMental#02).

(…) Pedimos então nosso Grab Taxi utilizando o wifi do aeroporto. Motorista aceitou a corrida (…). Demorou quase 30 minutos pra ele entender que eu não estava no andar de desembarque. Finalmente entramos no carro e ele disse que não falava nada em inglês. Beleza. (ExaustãoMental#03).

O caminho até nosso apartamento alugado pelo Airbnb durou cerca de uma hora devido ao engarrafamento e distância. (…) ficamos chocados com o calor e a camada de poluição no infinito do horizonte e que nos permitia ver a cor azul do céu apenas em alguns pontos. (ExaustãoMental#04)

Depois de instalado, era hora de ir no mercado local e comprar suprimentos (…) e tive mais um momento exaustivo: os rótulos todos nos caracteres locais e os atendentes não falavam ABSOLUTAMENTE NADA em inglês. Tentei comprar um chip de celular mas ele me vendeu o crédito para a operadora. Meu Deus do céu! Peguei meu celular, retirei o chip e apontei dizendo que eu precisava do Chip. O atendente juntou as mão em frente ao peito como um sinal de desculpas, cancelou o crédito e me devolveu o dinheiro com um sorriso. (…) voltei para o apartamento já completamente angustiado e cansado. (…)

Não tive vontade de fazer nada por pelo menos dois dias.(…) Não quis pesquisar nada e não me interessei por nada. Só queria ficar deitado, justamente assim, sem fazer nada.”

Depois de 2 dias sem nem querer chegar perto da porta, as coisas foram se acalmando um pouco. Por fim, consegui convencê-lo a sair do apartamento. Fomos visitar um shopping de eletrônicos e depois, fiz questão de montar um roteiro bem detalhadinho pra fazermos um passeio turístico sem muitas incertezas no caminho. Ou seja, pra não ter decisões a tomar.

culturas orientais - tailândia
+ Leia também: Cidades da Tailândia – O que fazer e quantos dias ficar em cada uma!

Principais sintomas do choque cultural

Os sintomas de um choque cultural podem variar de pessoa pra pessoa e podem ser mais brandos ou mais sérios.

Por exemplo, casos brandos de choque cultural são bem comuns entre turistas que viajam para a Europa, que simplesmente rejeitam os costumes locais e entendem tudo algo pessoal, falta de empatia ou de educação mesmo.

Já os casos mais severos são como os que o maridão passou, que sofreu um cansaço tão grande que se trancafiou no apartamento por dois dias sem querer sair da cama.

Veja alguns dos principais sintomas do choque cultural:

  • Sintomas mais brandos: Sensação de cansaço, irritabilidade, solidão, não aceitação das atitudes das pessoas locais, comparar o tempo todo em como sua terra é melhor.
  • Sintomas mais extremos: Excesso de tristeza, depressão, mudanças no sono (insônia ou sonolência excessiva), falta de apetite, rejeição a pessoas, comidas e outras coisas locais.
A Índia também é grande candidata a choques culturais
A Índia também é grande candidata a choques culturais
+ Leia também: As melhores ideias de presentes para quem ama viajar

Dicas para evitar o choque cultural na sua viagem

As dicas para evitar que você passe por um grande choque cultural podem ser agrupadas em dois momentos: preparação (antes do contato) e aceitação (durante o contato).

Prepare-se: Antes do contato com a nova cultura, informe-se sobre o que esperar. Conheça um pouco dos costumes, tente ir a um restaurante típico e assista filmes sobre o local. Se possível, aprenda algumas palavras do idioma.

Além disso, prepare-se com outras coisas mais básicas que possam facilitar o seu dia a dia. Por exemplo, saiba como vai fazer um determinado trajeto antes de chegar lá e ter que descobrir perguntando a pessoas que talvez não tenham a amabilidade que um brasileiro costuma ter.

A preparação é extremamente importante e pode evitar muitos desses pequenos estresses – que vão se acumulando até culminar em uma crise.

Aceite. A segunda melhor maneira de evitar um choque cultural é manter uma postura positiva perante as novidades e praticar a aceitação. Aceite que o arroz e feijão não precisam estar presentes em todas as refeições. Aceite que nem todo garçom vai deixar você juntar duas mesas ou sentar na janela. Aceite que outras culturas existem, podem ser muito diferentes e que está tudo bem com isso.

O caos nas ruas da índia propicia o choque cultural
Antes de ir, tenha pelo menos uma ideia do que vai encontrar

Lembre-se sempre que quando estamos na casa de amigos, não definimos como ele deve servir o jantar ou como ele deve tratar os filhos. Pelo menos espero que você não faça isso. rsrs

Assim como na casa alheia, seguimos regras que não são as nossas, em outros países vivenciamos outras convicções – não as nossas.

E quer saber?

Se você baixar as defesas, pode até ser que você se surpreenda gostando mais da cultura alheia do que da nossa própria.

Renata Marques

Nascida em Minas Gerais, filha de mãe mineira e pai paulista, passou parte da infância no Rio de Janeiro, morou em João Pessoa, fez intercâmbio em Londres e atualmente estuda uma possibilidade de se mudar de São Luís, onde já viveu por quase metade da vida. Mãe desde muito nova, filha desnaturada, esposa esforçada. Apaixonada por viagens e paisagens naturais. Servidora pública, fotógrafa e blogueira e em 2017 fez uma volta ao mundo de 1 ano com a família.

4 comentários em “Choque cultural: você está preparado?

  • novembro 4, 2019 em 12:17 pm
    Permalink

    Adorei o artigo. Esclarecedor e muito importante . ☺️

    Resposta
    • novembro 4, 2019 em 2:23 pm
      Permalink

      Super importante pensar nisso, né?

      Resposta
    • novembro 4, 2019 em 8:55 pm
      Permalink

      Show! Curiosidade minha: As fotos do artigo são de vocês?

      Resposta
      • novembro 5, 2019 em 6:09 am
        Permalink

        A maior parte deste post não, Arnobio. São fotos de bancos de imagem, livres de direitos autorais.

        Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *