Roteiro Chile: 7 dias incríveis com vulcão, vinícola e neve!

Depois de passar 12 dias entre na Argentina e Uruguai, o Renan seguiu seu roteiro no Chile em 7 dias inesquecíveis. O Renan juntou em uma só viagem 3 países que nós brasileiros amamos e temos muita dúvida na hora de decidir: Argentina, Uruguai e Chile. Nesse último trecho, foram 7 dias divididos entre Santiago e Pucón. Se você não leu, veja a primeira e a segunda parte dessa viagem.

Roteiro Chile: 7 dias

Se você está procurando um destino perto, com muitas opções de aventuras, um roteiro no Chile é uma boa opção. Com oportunidades de turismo de aventura do norte ao sul, o Chile encanta com as cordilheiras, seus vulcões ativos e inativos, desertos, águas termais e geleiras.

Mas cuidado, o chileno adora se agarrar com a namorada na rua, na chuva, na fazenda (ou no metrô, na praça ou enquanto o semáforo de pedestres está vermelho). Tirem as crianças da sala!

+ Leia também: Seguro viagem Chile – Relato de quem precisou usar!

Viajar de avião dentro do Chile pode ser barato usando a Sky Airlines, uma empresa de vôos low cost e que vende pela internet. No meu caso, começamos a viagem no país indo direto a Pucón, uma cidade charmosa e conhecida pelo seu vulcão.

Para ir pra lá, comprei um vôo para Temuco. É possível pegar um transfer de $10.000 pesos (se houver 6 pessoas no seu vôo interessadas) ou pagar $50.000 por uma van exclusiva. Também é possível ir para a rodoviária de Temuco e de lá pegar um Turbus para Pucón. No meu caso, o cansaço falou mais alto.

Roteiro no Chile: Dias 1, 2 e 3 – Pucón

Pucón é uma cidade muito linda. São poucas as ruas que ela tem, mas é encantadora e cheia de aventuras! Cada esquina é possível ver um supermercado, um hostal e uma agência de turismo. A cidade fica a só meia hora da base do vulcão Villarrica.

+ Leia também: Como é escalar o Vulcão Villarrica, vulcão ativo no Chile

O único problema é que quase tudo deve ser feito por agência. Acho que a única coisa que pode ser feita tranquilamente por conta própria é o Parque Huerquehue, tem ônibus na cidade que vai pra lá. Ande pelas ruas da cidade e explore tudo que as agências tem a oferecer.

Roteiro no Chile: Dia 4 – Santiago

Voltamos para Santiago e fomos conhecer o centro da cidade. Você pode começar pelo mercado central e ir descendo pela Calle Puente e parando na Igreja de Santo Domingo, na Plaza de Armas (onde tem a catedral, os Correios Central e o Museu de história nacional), passar pela Casa Colorada (é o museu de Santiago) e ir até a Plaza de Constitución, La Moneda (onde trabalha o presidente, tem um museu gratuito no subsolo) e descer pelo Paseo Bullnes, uma espécie de praça/parque que fica em frente ao La Moneda.

+ Leia também: Explorando Santiago: Museu da memória e dos direitos humanos

Para terminar, entre na calle Ovalle e suba pela Calle Londres e Calle Paris, que fazem parte do minibairro chamado Paris-Londres. Aqui muita gente foi torturada em tempos de Pinochet, ao lado da igreja de san francisco (outra opção para conhecer, já que estará por lá) tem uma calçada com placas no chão com nomes e partidos de políticos torturados e mortos na região, história pura.

Roteiro no Chile: Dia 5 – Valle Nevado

Este dia você pode reservar para conhecer os Andes. Tem muita opção de agência de turismo, principalmente no tripadvisor. Como era inverno e nós queríamos algo que fosse e voltasse antes das 17h, quase não encontramos agências, pois todas elas fazem o full-day para o povo que quer esquiar e aí eles voltam lá pelas 8 da noite.

Fomos de Somos Tour ( www.somostour.cl ). São bastante organizados e, se agendar via whatsapp, eles podem até dar desconto. No site era $26.000, mas no whatsapp me fizeram a $20.000 o passeio. É um passeio que começa às 6:30 recolhendo todo mundo e começa a deixar todos de volta às 16h mais ou menos. São 40 curvas para Farellones e 20 curvas a mais para ir a Valle Nevado.

+ Encontre: Passeios ao Valle Nevado

Na volta, se ainda tiver pique, você pode ir ao Cerro (colina) Santa Lucía, passar no Museo de Bellas Artes (entrada gratuita) e terminar comendo um waffle salgado de Old Turkey na Buffalo Waffles no bairro da Lastarria.

Roteiro no Chile: Dia 6 – Santiago

Você já fez o miolo do centro todo, agora é hora de fazer roteiros um pouco mais afastados. Comece indo ao Cerro San Cristóbal ($2.000 pesos o funicular ida e volta) e tenha uma linda visão dos Andes a partir da estátua da Imaculada Conceição. Ao descer, prove o mote con huesillos, uma bebida típica chilena que parece algo como caldo de cana/mel, com pedaços de pêssego (é considerada uma sobremesa, mas é tipo sopa: tem a parte de tomar e a parte de usar a colher pra comer). Saindo de lá, passe pela La Chascona, uma das casas de Pablo Neruda ($6.000 pesos para entrar).

Após isso, sugiro comer no Patio Bellavista, é um lugar encantador (também há outras opções na Pio Nono, a rua do Patio. A região é muito boa para isso). Depois, pegue o metrô e vá para o Parque de las esculturas e depois vá para o Costanera Sky (entrada: $8000 pesos), o prédio mais alto da America Latina, com 300m (quase o tamanho da torre eiffel! Tem um shopping por lá também, se quiser, pode comer na praça de alimentação de lá). Se possível, tente terminar o programa até às 14h ou 14:30.

Um roteiro no Chile não é completo sem visitar uma vinícola, certo? Tente marcar para esse dia uma visita guiada na vinícola Concha y Toro para às 16:30 até às 17h. Reserva online antecipado, paga na hora. Vale a pena! Inclusive, o começo do ano é época de colheita e é possível ver a vinícola cheia de frutos. Para chegar, a partir da estação Tobalaba (perto do Costanera), pegue o metrô da linha 4 (azul escura, que tenha escrito na frente: rota vermelha – ruta roja) e desça na estação Las Mercedes.

De lá, saia pela Concha y Toro Poniente e pegue um metrobus de nº 73, 80 ou 81. Peça ao motorista para bajar en Concha y Toro, lhe deixará na porta em 10 a 15min. Esse percurso, saindo de Tobalaba, dura uns 50min a 1h. Para voltar, dê a volta na Concha y Toro por fora e pegue qualquer onibus do outro lado da rua. Peça para bajar en Plaza de Puente Alto. Aí tem uma estação de metrô. Um táxi da vinícola até o metrô custa em torno de $4.000 por trecho. Ida e volta já é suficiente para comprar um bom Casillero del Diablo edição limitada.

Roteiro no Chile: Dia 7  – Valparaíso e Viña del Mar

Aqui vai depender da sua preferência e disposição. Você pode ir via agência de turismo (cerca de 15 a 20.000 pesos) ou de ônibus. Se optar pela economia, vá para a estação Universidad de Santiago e entre no terminal de bus Alameda. Lá, na turbus, é possível comprar uma passagem para Valparaíso por algo em torno de $4.000 pesos.

Valparaíso

Chegando em Valparaíso, entre no mercado central que está atrás da rodoviária, depois vá pela catedral e Plaza Simón Bolivar. Após isso, sugiro ir para a casa de Pablo Neruda (La Sebastiana). Nós fomos andando, mas é muita subida. Recomendo buscar um ônibus ou táxi para chegar lá. Não entramos, mas é um lugar interessante porque é um ponto alto da cidade. Saindo da casa do Pablo Neruda , pegue a direita a Av Alemania e segue nela sempre. Você irá passar por alguns miradores muito bons. Após terminar a Av Alemania, siga na Monte Alegre, depois Miramar até chegar ao Paseo Yuguslavo. Lá tem uma feirinha e ótima vista para a cidade.

Após isso, não vejo outra forma: desça pela escada Apolo e suba pela Fischer. Lá, pegue a rua Abtao e conheça a igrela luterana. Siga na Abtao e entre no Pasaje Bethoven até chegar em Concepción. Lá tem ótima vista da cidade e uma escada em forma de piano! Pegue o ascensor e desça para a Rua Esmeralda (que vira rua Cochrane) esiga até a plaza Sotomayor. Tire umas fotos por lá e vá para a rua Errazuriz e pegue um ônibus que vá para Viña del Mar, a luta continua! São apenas 8 km entre as duas.

Viña del Mar

Em Viña del Mar, desça no Reloj de Flores, tire umas fotos e passe na praia que tem em frente, a Playa Caleta Albarca. Ande um pouco pela orla até chegar no Castillo Wulf, onde tem um mirante.

De lá, pegue um onibus ou taxi para a plaza Vergara, conheça o anfiteatro mais conhecido de Viña e vá para a rodoviária, que está logo em frente e volte para Santiago. Valparaíso é mais urbanizado e Viña é mais pacata.

Infográfico - Roteiro no Chile
Gostou desse roteiro no Chile? Compartilhe com os amigos ou salve no Pinterest!

Informações úteis para seu roteiro no Chile

Chegando ao Aeroporto de Santiago

Ao desembarcar, uma multidão de taxistas irá lhe oferecer os serviços. Dizem que a faixa de preço deles é de $20.000 pesos. Uma amiga tinha me falado da Centropuerto, uma empresa de ônibus que vai até a estação do metrô Los Heroes. A passagem custa $1.600 pesos e pode ser paga no próprio ônibus do lado de fora do aeroporto. Acredito que a turbus também faça o serviço, mas não sei mais detalhes, apenas vi que havia ônibus deles por lá. Por falta de informação, vi o stand da turbus dentro do aeroporto fechado e pensei que não fosse possível pagar no ônibus e acabei pagando $6.900 por pessoa para ir de Delfos, uma empresa de transfer. O bom é que deixa na porta do hotel.

(Nota do editor: Um pouco depois da viagem do Renan, o Inda Vou Lá publicou um post explicando direitinho como ir do aeroporto de Santiago ao centro)

Imigração no Chile

Ao passar na imigração (PDI – A polícia Federal deles), eles vão lhe entregar um papel parecido com um cupom fiscal como este acima. Guarde muito bem, pois você terá que devolvê-lo ao sair do país. Como eu não sabia disso, acabei deixando o papel na mala sem querer (pensei até que tinha jogado no lixo). Talvez pelo meu bom nível de espanhol ou a simpatia do rapaz da imigração, ele me deixou ir e me disse que da próxima vez eu lembrasse de guardar e devolver o papelzinho.

Hospedagem em Santiago

Minha experiência no CLH Suites foi boa:Ótimo preço, ótimo café-da-manhã, ótima localização, péssimo wi-fi. O café-da-manhã é ótimo, com pão, ovo, café, leite, salsicha, banana, laranja, bolo, queijo, presunto, etc. Lá eles tem uma mesa de sinuca e eventos toda noite na cobertura do hostal. Apesar de ser hostal, ficamos em um quarto privativo com banheiro e parecia um apartamento! Tínhamos sala, uma mini cozinha com microondas e cafeteira. Eles também tem serviço de quarto, melhor que muitos hotéis que passamos.

Pontos ruins são que tem muito barulho na rua (porque está no centro) e a internet estava muito ruim (acredito que porque tinha muita gente). No mais, estava perto dos principais pontos turísticos da cidade. Se quiser ficar em uma zona cuja a noite de barzinhos é animada, sugiro ficar perto da estação Baquedano. Nessa estação está o Patio Bellavista e outros barzinhos da cidade e, além disso, é uma estação de metrô que tem integração com as principais linhas (a do centro, a do La Costanera e também a linha que vai para a vinícola da Concha y Toro).

Padrão de Tomada no Chile

A tomada é ótima para os nossos padrões antigos (de dois pontos).  O formato dela é como reticências (… ), mas não funciona com o nosso novo padrão.

Câmbio

Trocamos no aeroporto. Como tínhamos dólares, o câmbio não flutua muito, mas o melhor é trocar no centro, em horário comercial. Gastamos algo em torno de $250 dólares para os 7 dias que passamos. Também é possível (e até recomendado) levar reais para trocar por lá.

+ Leia também: Qual moeda levar para o chile: dólar, real ou peso?

Locomoção

Durante seu roteiro no Chile, considere usar o metrô, que funciona lindamente nessa cidade. O único momento que usamos outros transportes foi para ir ao aeroporto (o vôo era muito cedo e não havia centropuerto) e para ir para a Concha y Toro (tínhamos que pegar o metrô e depois ônibus ou taxi, depois detalhamos).

Comida chilena

A comida chilena consiste em mariscos, sanduíches, empanadas e outras coisas mais. Por ter uma amiga chilena, peguei algumas dicas de lugares onde poucos turistas conhecem, mas que é conhecido pelo chileno. São eles o “el rápido“, um fast food de empanadas clássica (empanadas fritas, são como pastéis), uma empanada custa em torno de $1300 pesos e a comida sai muito rápido !

Outros dois lugares que fomos foi o Buffalo Waffle (esse é especial:Sabe quando pensamos que no Brasil tem sushi até de morango? Pois é, no buffalo waffle eles tem waffle doce e salgado. É um lugar de pedir, pegar e ir pra praça comer, não tem onde sentar e é bem cheio, muito conhecido pelos chilenos. Fica entre $2800 e $3500 pesos o waffle) que fica no bairro Lastarria. Também comemos no restaurante italiano La Piccola Italia, que fica na Av Libertador O’Higgings perto do bairro Paris-Londres e gastamos $7000 pesos para comer muito, a tripasta deliciosa e enorme custa $5000 pesos. Normalmente a comida custa entre $5000 e $8000 pesos.

Renata Marques

Nascida em Minas Gerais, filha de mãe mineira e pai paulista, passou parte da infância no Rio de Janeiro, morou em João Pessoa, fez intercâmbio em Londres e atualmente estuda uma possibilidade de se mudar de São Luís, onde já viveu por quase metade da vida. Mãe desde muito nova, filha desnaturada, esposa esforçada. Apaixonada por viagens e paisagens naturais. Servidora pública, fotógrafa e blogueira e em 2017 fez uma volta ao mundo de 1 ano com a família.

2 comentários em “Roteiro Chile: 7 dias incríveis com vulcão, vinícola e neve!

  • agosto 20, 2019 em 1:18 pm
    Permalink

    Olá, Renata tudo bem?
    Parabéns pelo blog e pelo trabalho 🙂
    Que alegria encontrar esta publicação e saber que a experiência com a Somos Tour foi tão agradável ao ponto de nos recomendar aos seus leitores. Não temos como agradecer 🙂
    Esperamos que você voe ainda mais pelo mundo e, quando voltar ao Chile, estaremos de braços abertos para passearmos juntos.
    Um grande abraço,
    Equipe Somos Tour

    Resposta
    • agosto 22, 2019 em 3:49 pm
      Permalink

      Obrigada pessoal!

      A experiência do Renan com vocês foi muito boa. Esperamos que continuem recebendo muito bem nossos leitores!

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *